segunda-feira, 29 de agosto de 2016

FIM DE BRIGA EM PONTAL DO ARAGUIA PDT REGISTRA CADIDATURA E O ATO DE DESTITUIÇÃO DO DIRETÓRIO MUNICIPAL FEITO PELO PRESIDENTE ESTADUAL DEPUTADO ZECA VIANA FICA NULO

29/08/2016
Por: Barra do Garças News


Clique para obter OpçõesClique para obter Opções


A paz volta a reinar no PDT Cláudio Toto volta a ser presidente do partido e coligação torna se válido conforme decisão do juiz da 9° Zona eleitoral

Assaltante tenta roubar agência com arma de brinquedo e é baleado em MT

29/08/2016
Por: G1 MT 


Suspeito usou arma de brinquedo ao tentar assaltar banco em Cuiabá (Foto: Divulgação/Polícia Militar)

Um assaltante foi baleado nesta segunda-feira (29) quando tentava roubar uma agência de cooperativa de crédito, no Bairro Santa Rosa, em Cuiabá, com uma arma de brinquedo. Segundo a Polícia Militar, dois homens entraram na agência e um deles rendeu o segurança. O vigilante reagiu e disparou contra o criminoso.

De acordo com a PM, o ladrão e um comparsa passaram pela porta giratória armados. Enquanto um deles anunciava o assalto, o outro tentou render o segurança.

Um dos tiros atingiu o assaltante no peito. Ele foi socorrido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) e encaminhado para o Pronto-Socorro de Cuiabá. Nenhum cliente da agência ficou ferido durante a ação.

O outro suspeito fugiu do local durante o confronto. Na fuga, segundo a polícia, ele abandonou uma arma de fogo. Ao contrário do outro assaltante, a arma que ele usava era verdadeira.

Anvisa suspende lote de achocolatado após morte de criança em Cuiabá

29/08/2016
Por: G1 MT 

Lote de bebida achocolatada deve ser recolhida os estabelecimentos comerciais (Foto: Divulgação/Itambé)


A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) publicou no Diário Oficial da União desta segunda-feira (29) uma resolução determinando o recolhimento de um lote do achocolatado Itambezinho e proibindo a comercialização do produto pelo período de 90 dias, em todo o Brasil. A medida foi tomada após a morte de uma criança de dois anos na quinta-feira (25), em Cuiabá. Segundo a polícia, a mãe relatou que o filho morreu uma hora depois de ingerir a bebida.

A Itambé disse, em nota, que análises laboratoriais internas não identificaram qualquer problema na composição do produto do lote suspenso.

Os produtos que pertencem ao lote MA: 21:18 devem ser recolhidos dos estabelecimentos comerciais pelas vigilâncias sanitárias estaduais e municipais, segundo a Anvisa. Após o recolhimento, a bebida deve passar por análise laboratorial.

A resolução de nº 2.333, assinada na sexta-feira (26), dia seguinte à morte da criança, especifica que o produto interditado cautelarmente foi fabricado no dia 25 de maio e tem validade até 21 de novembro de 2016. De acordo com a Anvisa, o lote deve ser recolhido e armazenado até que um laudo aponte o motivo da morte da criança. Segundo a Polícia Civil, que investiga o caso, o exame que deve indicar a causa da morte deve sair em 30 dias.

De acordo com a Anvisa, a Itambé, com sede em Pará de Minas (MG), fabricante do produto, deve apresentar um mapa de distribuição do produto para facilitar o recolhimento do lote. Caso não seja comprovada a contaminação do lote no prazo estipulado pela Anvisa, o produto pode ser distribuído novamente.

Investigação
A Polícia Civil abriu inquérito para investigar a morte da criança, a partir de denúncia registrada pela mãe na Delegacia de Homícidios e Proteção à Pessoa (DHPP). A investigação, porém está a cargo da Delegacia Especializada de Defesa da Criança e do Adolescente (Deddica).

O delegado Eduardo Botelho, da Deddica, informou ao G1 nesta segunda-feira que os pais do menino foram ouvidos hoje e, em depoimento, confirmaram a versão declarada no boletim de ocorrência registrado na semana passada. Conforme o delegado, os pais disseram que a família ganhou o achocolatado de um vizinho e que a embalagem estava fechada. A mãe ainda declarou que ela e um tio da criança chegaram a ingerir a bebida e também passaram mal.

O menino foi encaminhado a Policlínica do Coxipó, em Cuiabá, com parada cardiorrespiratória e morreu na unidade.

Outro lado
Por meio de nota, a Itambé informou que foi notificada na sexta-feira (26) sobre o suposto consumo de um produto da linha de achocolatados Itambezinho, de 200 ml. "O referido produto está no mercado há mais de uma década e nunca apresentou qualquer problema correlato. Até o presente momento, não tivemos nenhuma outra reclamação do mesmo lote", diz a empresa.

Filhas são presas suspeitas de ajudar mãe a matar marido em MT, diz polícia

29/08/2016
Por: G1 MT 



 Marinalva Correira de Freitas foi presa suspeita de matar o marido (Foto: Assessoria/Polícia Civil de MT)ma dona de casa, de 50 anos, presa na semana passada, em Canabrava do Norte, a 1.215 km de Cuiabá, teria contado supostamente com a ajuda de duas filhas, de 27 e 31 anos, de dois genros e de um sobrinho para matar o marido, de 54 anos, segundo a Polícia Civil.

Os outros cinco suspeitos foram presos na quinta-feira (25). No entanto, a informação só foi divulgada nesta segunda-feira (29). O G1 tentou entrar em contato com o advogado da mulher e dos suspeitos, mas não conseguiu. Na data da prisão, Marinalva Correia de Freitas alegou legítima defesa.

A mulher da vítima, Marinalva foi detida no velório do marido. Após a prisão, ela disse à polícia que tinha dado dois tiros no marido em legítima defesa. Os disparos atingiram a perna e a nuca do marido, segundo ela informou à polícia. No depoimento, alegou que tivesse cometido o crime sozinha.

No entanto, durante as investigações, a polícia identificou que essas outras quatro pessoas presenciaram o crime, ocorrido em uma fazenda, no último dia 21. Um dos homens presos é genro de Marinalva, de 31 anos, de acordo com a Polícia Civil. Após a prisão, esse genro da suspeita confessou envolvimento no assassinato.

Conforme a polícia, a participação de cada um não ficou esclarecida e, por causa disso, foi pedida a prisão de todos que estavam no local do crime. Também deve ser investigado o motivo pelo qual a viúva assumiu a culpa do homicídio. Marinalva convivia com o marido havia quatro anos.

Foi ela quem chamou a polícia. A vítima foi encontrada morta com um tiro na região da nuca e segurava uma faca nas mãos, numa simulação de suicídio.

Os policiais não encontraram vestígios de pneus de carro, o que começou a levantar suspeitas sobre a mulher da vítima, pois seria pouco provável que, depois de ter sido atingido, o homem continuasse a segurar uma faca. O que também levantou suspeita foi o fato dela só ter acionado a polícia durante a manhã, sendo que a morte tinha sido no início da madrugada. 

Depois de ter sido presa no velório do marido, ela contou que usou uma arma calibre 38 e que alterou a cena do crime ao colocar a faca na mão da vítima.

Os suspeitos foram encaminhados para a Cadeia Pública de Porto Alegre do Norte, a 1.143 km de Cuiabá.

Senador de MT tem alta e vai fazer tratamento de diverticulite em casa

29/08/2016
Por: G1 MT 


Senador Wellington Fagundes (PR-MT) (Foto: Assessoria)

O senador Wellington Fagundes (PR-MT), de 59 anos, que estava internado desde sábado (27) no Hospital Brasília, em Brasília, diagnosticado com diverticulite aguda, recebeu alta médica no início da tarde desta segunda-feira (29). Segundo a assessoria do senador, Fagundes passou por uma bateria de exames e recebeu a recomendação para prosseguir o tratamento em casa.

Wellington Fagunes acompanhava a sessão do processo de impeachment da presidente afastada Dilma Rousseff quando começou a se sentir mal. No sábado ele foi atendido pela equipe médica do próprio Senado Federal e levado até o Hospital Brasília.

Conforme a assessoria do senador, nos exames realizados na manhã desta segunda-feira, a equipe médica, liderada pelo doutor Luiz Augusto de Bianchi, verificou a evolução favorável do quadro clínico. Em casa, Wellington Fagundes será acompanhado pela equipe médica do Senado Federal.

Apesar da recomendação de repouso para evitar qualquer agravamento do quadro clínico, o senador Wellington confirmou participação na sessão de votação do impeachment, prevista para esta quarta-feira (31).

O senador foi diagnosticado com diverticulite, que é uma inflamação caracterizada principalmente por bolsas e quistos pequenos e salientes da parede interna do intestino.

domingo, 28 de agosto de 2016

Cartel de autopeça tem corrida para delação premiada

28/08/2016
 Estadao


A onda de delações premiadas para escapar de punições mais severas influenciou fabricantes de autopeças a promoverem uma corrida ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) para denunciar quem praticou cartel no País. O processo é um dos maiores desse tipo em número de empresas envolvidas de um único setor - são 40 até agora -, além de mais de 100 executivos. Já foram aplicadas mais de R$ 150 milhões em multas e ainda falta muito a ser investigado.

Em todos os casos há indícios ou já comprovação de condutas anticompetitivas, como acordos prévios de cotação a serem apresentados aos clientes, valores, aumento de preços e divisão de mercado. A Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) calcula que os preços de produtos em ambientes cartelizados são em média 30% mais altos do que na livre concorrência.

Subsidiárias de multinacionais já punidas por essas práticas nos EUA, Ásia e Europa se anteciparam às investigações no Brasil para se autodelatar e entregar concorrentes. O acordo de leniência, como é chamada a delação nesses casos, livra a empresa da multa e de processos judiciais. Como o benefício integral vale só para quem colaborar primeiro, há uma disputa para chegar Cade.

‘Hoje, temos pelo menos dez processos administrativos instaurados‘, informa o superintendente adjunto do Cade, Diogo Thomson de Andrade. Segundo ele, há outros em investigação. As principais prejudicadas pela concorrência desleal são as montadoras, mas também concessionárias e oficinas.

Andrade afirma que a Lava Jato também pode ter influenciado na decisão das empresas de colaborarem com as autoridades brasileiras. Mas ressalta que o movimento inicial é anterior à operação da Polícia Federal que, de certa forma, popularizou o instrumento da delação premiada no País.

Os primeiros processos no Brasil foram abertos em 2014, após período de investigações e formalização de denúncias. Nos demais países, os processos começaram bem antes. Nos EUA, envolveu 39 empresas e US$ 2,6 bilhões em multas. O executivo Shingo Okuda, da fabricante japonesa GS Electech, fornecedora de peças para montadoras americanas, foi condenado a 13 meses de prisão.

Entre as envolvidas no processo local, algumas são multinacionais sem subsidiárias no País, ou com unidades que não produzem as peças envolvidas no cartel. Segundo o Cade, algumas das condutas internacionais tiveram efeito no Brasil, seja por meio de exportação de peças ou de veículos.

A alemã Bosch, maior fabricante de autopeças na América Latina, foi a primeira a fazer acordo de leniência no Brasil, após ser citada por sua concorrente em processo nos EUA. A empresa admitiu ter manipulado preços de velas de ignição com a NGK entre 2000 e 2013. As duas também repartiam os contratos a serem atendidos, para evitar queda em suas participações de mercado.

A Bosch não quis comentar o assunto. A NGK diz que coopera com as investigações. ‘Essa postura transparente é parte de nossas políticas mundiais de compliance e respeito irrestrito às leis do País.‘ A Tenneco também fez acordo de leniência no segmento de amortecedores envolvendo Affinia, Dana, Magnetti Marelli e Corven Sacif. A Tenneco afirma estar ‘cooperando totalmente com a investigação e que está comprometida com a transparência e total respeito às leis do País‘.

Taborelli vai recorrer para evitar saída da AL

28/08/2016
Por: Janaiara Soares, repórter de A Gazeta

CONTRA POSSE DE PETISTA


A defesa do deputado estadual Pery Taborelli (PSC), representada pelo advogado Marcelo Coelho, afirmou que irá recorrer da decisão monocrática do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que deferiu o registro de candidatura de Valdir Barranco (PT). O recurso deve ser interposto na próxima semana para evitar que o petista tome posse na Assembleia Legislativa.

Em nota apresentada à imprensa, o deputado alega que não existe ordem de que Barranco deva assumir o cargo. “Vale lembrar que a Procuradoria Geral Eleitoral (Ministério Público), que é o ‘Fiscal da Lei’, neste recurso, emitiria parecer contrário ao seu provimento, contrariando o ministro, Luiz Fux”, diz trecho.

A defesa ainda afirmou que, “o caso Barranco, além de se tratar de julgamento de contas, envolve também, representação de natureza interna, irregularidades gravíssimas e gestão temerária, o que é ainda mais gravoso. Assim, o recorrente Valdir Barranco, condenado pelo Tribunal de Contas, não se apresenta limpo para ter deferido o registro de sua candidatura”.

O parlamentar não compareceu à coletiva de imprensa, alegando estar em outros compromissos. O advogado afirmou que Taborelli continua no exercício de seu mandato. “O deputado Taborelli proporciona maior conhecimento sobre tão relevante tema que tem sido distorcido por seus adversários políticos na vã tentativa de ofuscar o brilho da candidatura a prefeito de Várzea Grande, que já nasceu vitoriosa”.

Após a decisão do TSE, Barranco protocolou no Tribunal Regional Eleitoral de Mato Grosso (TRE/MT) o pedido de diplomação como deputado estadual. O candidato, que recebeu 19.227 votos nas eleições em 2014, não chegou a assumir seu posto na Assembleia Legislativa de Mato Grosso por ser considerado ficha-suja. Caso assuma o cargo, Taborelli perde a cadeira na AL e volta a ocupar a suplência.